Matrícula para escolas RJ 2021: previsões para o ano letivo

Durante quase todo o ano de 2020, as aulas presenciais no Rio de Janeiro ficaram suspensas. Em março, as escolas foram fechadas por conta da pandemia de covid 19. As aulas da rede privada de ensino foram autorizadas pela Justiça a serem retomadas em outubro. Foi considerado que as escolas particulares têm maior capacidade de manter uma segurança sanitária, algo que a rede pública ainda não consegue garantir. Com isso, como fica a matrícula para escolas no RJ 2021?

Ainda existem muitas dúvidas sobre o retorno das aulas no ano que vem. Decisões diferentes são tomadas em cada estado e município, de acordo com os níveis de casos e mortes advindos da covid 19.  Mesmo assim, o Conselho Nacional de Educação (CNE), que assessora o Ministério da Educação (MEC), aprovou medidas que estão relacionadas com o ano letivo. Ter conhecimento sobre elas é relevante para os pais e responsáveis, antes que façam a matrícula para escolas no RJ 2021

Um detalhe importante é que o Governo Federal pode não tornar obrigatória a adesão a essas medidas. Por enquanto, elas servem como base para que os currículos e grades escolares passem por mudanças para 2021. 

Reprovação em 2020

A recomendação do CNE é de que as escolas não reprovem nenhum aluno em 2020. O Conselho acredita que este ano foi atípico e que muitos estudantes podem não ter se adaptado bem a metodologia do ensino a distância.  

Ao invés de fazer com que o aluno repita o ano letivo, o CNE propõe que as turmas sejam monitoradas, para que seja feito um controle do aprendizado. Apenas no final do ano que vem, em 2021, quando houver o retorno completo das aulas presenciais, uma avaliação será feita para indicar se o estudante deve avançar uma ou duas séries.

Existe a possibilidade de que alunos com níveis de aprendizagem similares se unam na mesma turma, mesmo tendo idades diferentes. Outra medida proposta pelo CNE é a fusão dos anos letivos de 2020 e 2021. Esta ideia vai ser tomada pelo Governo do Estado de São Paulo.  

No caso dos jovens que vão estar no terceiro ano do Ensino Médio, o chamado “terceirão”, haverá a possibilidade da criação de um ano extra, para que haja uma preparação mais efetiva para o vestibular e Enem. 

Ensino Remoto

O ensino remoto, ou a distância, foi autorizado pelo Conselho Nacional de Educação a ser uma possibilidade para as escolas até o final de 2021. O objetivo desta medida é permitir que as escolas tenham mais tempo para se organizar e encaixar no currículo escolar as aulas de reposição e avaliações. 

O texto do CNE afirma que todas as tecnologias podem ser usadas para fins educacionais, inclusive as redes sociais, como WhatsApp, Facebook e Instagram. Dessa forma, os alunos se sentem mais estimulados para estudar, fazer pesquisas e projetos. 

Vale destaca que as diretrizes do Conselho Nacional de Educação valem para todo o território nacional, para a rede pública e particular de ensino, mas que ainda não há confirmação do que realmente vai acontecer no próximo ano. 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *